Logos

Desenvolvimento de Logo:



Devido à grande importancia que a Logo tem para a empresa, realizamos análises da marca, definindo juntamente com o cliente, quais atributos a marca deverá transmitir e qual o público alvo. A marca deve se comunicar na mesma linguagem do seu público.

E para traduzir esses conceitos em algo visualmente concreto e de fácil entendimento, tudo é cuidadosamente pensado: Desde a combinação das cores, o tipo da fonte e dos traços, a criação de um símbolo, tendo um significado para cada detalhe. Para combinar todos esses elementos é necessário a sensibilidade e bom gosto estético do designer, para haver o resultado esperado de uma logomarca bonita e objetiva.



5 dicas para criação de Logotipo:


Para você que quer criar um novo logotipo para sua empresa, ou alterar aquele letreiro escrito em Comic Sans, mas não entende bulhufas de design gráfico, aqui vão algumas dicas. Na verdade, quem deve preparar o seu logotipo é algum profissional da área de design gráfico. É bom que você tenha essas noções, pois afinal é você quem está pagando e é você quem irá carregá-lo por todos os lugares.

1. Um logotipo não deve necessariamente dizer o que a empresa faz

apple

Você não precisa colocar o seu produto no seu logo. A Apple não vende maçãs mordidas.

Logotipo de clínica odontológica não precisa mostrar dente, restaurante não precisa mostrar comida, consultório dermatológico não precisa mostrar unha encravada. Além de não ser essencial, pode deixar seu logotipo brega:

dentista

A Sony não mostra uma TV, a FIAT não mostra um carro, a Adidas não mostra um tênis, o Mc Donald’s não mostra um sanduíche.

2. Simples é melhor

Não exagere nas ideias, formas e cores. O seu cliente será incapaz de decorar seu logotipo se ele for uma imagem ultra colorida e cheio de passarinhos e arcoíris. Além disso, quanto mais simples, mais fácil de adaptá-lo sob as demais circunstâncias: panfletos, banners, cartazes, camisetas, eventos etc.

3. Estilo apropriado

wakazoog

Não é porque Web 2.0 está na moda que você vai querer que seu escritório de advocacia tenha um logotipo com letras grandes, redondas e coloridas. Cuidado com modinhas.

4. Rabisque

Muitas ideias só conseguem fluir quando colocadas no papel. Você não precisa entregar ao designer gráfico um draft perfeito com todos as cores e formas que você quer, mas pelo menos alguns rabiscos grotescos ou algumas palavras-chave. Lembre-se que o designer gráfico geralmente só sabe desenhar, não tem a visão de mercado que você tem do seu próprio produto.

5. Converse sempre com o designer

Esta dica serve para qualquer projeto de desenho gráfico. As empresas tem o costume de jogar a bomba nas mãos do designer e só depois de meses voltar para ver o resultado. Geralmente não dá certo, o resultado acaba sendo nada a ver com o que você esperava. Procure sempre acompanhar cada passo que o designer dá.

Mas atenção: acompanhar não significa perseguir! O designer precisa de momentos sozinho para o processo criativo – palpites nas horas erradas podem atrapalhar a criatividade. Agende com ele etapas e deadlines.

Ficaí a dica!

Abraços,

Att.: Rafael Benetti